1996: ZONA(IN)VISIBILITÀ

Z0N∂[in]√iSiBiLità / Z0N∂[in]√iSiBiLidad∑ / [in]√iSiBiLityZ0N

Length: 5′ video and 55’ video-installation

Year of production: 1996 and 1998

Production: César Meneghetti

Concept, (re)shooting, editing: César Meneghetti

Media: video, colour.

Public views: ZONAINVISIBILITA’, Galleria Assenzio, Roma, 1996. VISIBILITA’ ZERO, video d’autore, presso la Galleria Comunale D’arte Moderna e Contemporanea., Roma 1999. DIROTTAMENTI, video d’autore, Cinema De Amicis, Milão, 1999. I° Electronic Art International Biennial. Palazzo delle Esposizioni, Rome, December 1999. MIXED exhibition selection of author’s video, Neon Gallery, Bologna. May 2000. VISIBILITÀ ZERO exhibition selection of author’s video, Vilnius Lituania November 2000. ITAUCULTURAL, portfolio de César Meneghetti, abril 2002.

[uk]

TV zapping images recorded and re-recorded analogically over and over in order to build multiple layers, in an attempt to arrive to their rarefaction, the transformation of the media itself, the cathodic tube of the televison set, in message. [IN]VISIBILITY ZONE is also a new attempt of painting with a flux of electronic motion images. Images that talk about themselves without an obliged narration. An alternative proposal to the extreme redundancy of the trash TV.

[br]

Imagens de um zapping televisivo gravadas várias vezes consecutivamente, na tentativa de transformá-las, rarefeitas na mutação do próprio meio, da TV, do sinal vídeo, da mensagem. ZONA[IN]VISIBILIDADE é também tentar fazer pintura com a imagem em movimento, com imagens que falam só delas mesmas desvinculadas da obrigação da narrativa. Uma proposta alternativa à extrema eloqüência vazia da televisão institucional.

[it]

Immagini di uno zapping televisivo riprese e riprese più volte in strati successivi, nel tentativo di arrivare alla loro rarefazione, alla trasformazione del mezzo stesso, la TV, in messaggio. ZONA[IN]VISIBILITÀ è anche un tentativo di pittura con immagini in movimento, immagini che parlano di se stesse svincolandosi dall’obbligo narrativo. Una proposta alternativa all’estrema verbosità della TV spazzatura.

InZonErronee   inERRORzones   emZONASerroneas

Adombramenti   adumbration    Assombramentos

Illuxion&DIS   Illusions&DES Ilusões&DES

Integrazione   integration   Integração

AgraFFiarela   toscratchIN    à arranhar a

Invisibilità   visibility     INvisibilidade

[uk]

The video content is basically a few hours of zapping from several TV nets. Recoded and re-recorded until the abstraction. Film, video and photography images loose its original figurative and realistic character. This technique of the re-recording film and video is present in many previous MENEGHETTI’s works but in [IN] VISIBILITY ZONE it becomes a vital part of the work. Into both supports used for this show, either photographic or videographic, the primordial characteristic of these mediums are to represent the faithfully reality. In this work these images paradoxically lose its primordial function and they transform into: visible, not-visible or (in) visible. The (in)visible look, the interior look, the inner of the electronic image, to leave itself to lead for the pure perception, to go beyond and discover other images and significations. To help to see the same reality of one another form, where each viewer can discover its own reality, its own truth, in a space where “nothing” coexists with “absolute”.

[br]

O conteúdo do vídeos são várias horas de zapping de várias redes de televisão, filmadas e re-filmadas, até a abstração. As imagens gravadas e re-gravadas perdem assim seu caráter figurativo, realista. Esta técnica da re-filmagem é presente em muitos trabalhos anteriores mas em Zona(in)visibilidade se transformam em parte fundamental do trabalho. Em ambos os suportes utilizados para esta mostra, seja ele fotográfico que videográfico, a característica primordial destes meios que é representar fielmente a realidade, perdem paradoxalmente esta sua função primordial e se transformavam em outras coisas: visíveis, não-visiveis ou (in)vísiveis. O olhar visível(in), interior, no âmago da imagem eletrônica, deixar-se levar pela percepção pura, e vai descobrir imagens e significações além da razão. Ajudar a ver a mesma realidade de uma outra forma, onde cada expectador pode adquirir a sua realidade, a sua verdade, no espaço onde o “nada” coexiste com o “absoluto”.